Lucas Dias
08/02/2019
Garça 

Jorginho Putinatti com o mestre dos técnicos Por: Tico Cassolla

 De nosso amigo e consagrado jogador do futebol brasileiro Jorginho Putinatti, atualmente residindo na sua terra natal Marilia, recebemos uma bonita foto onde ele aparece ao lado do ex-técnico Osvaldo Brandão.

Anúncio

De nosso amigo e consagrado jogador do futebol brasileiro Jorginho Putinatti, atualmente residindo na sua terra natal Marilia, recebemos uma bonita foto onde ele aparece ao lado do ex-técnico Osvaldo Brandão. O encontro das duas “feras” foi no ano de 1.980, quando estavam no Palmeiras (foto).  Segundo o Jorginho, Oswaldo Brandão foi um dos melhores treinadores que teve no futebol profissional. Na época ele era recém chegado do Marilia, e teve em Brandão um verdadeiro professor que muito lhe ensinou, seja na parte técnica, tática e até mesmo pessoal, contribuindo para o sucesso na carreira.

Jorginho também faz questão de lembrar de técnico Telê Santana, outro “mestre’, que sabia tudo de bola, com quem trabalhou na seleção brasileira, nas temporadas de 1985/86, nos jogos preparatórios para a Copa de 1.986 (México). Infelizmente uma contusão no amistoso contra os juniores do Atlético Mineiro, o tirou da copa.

Falando um pouco da carreira do Jorge Antonio Putinatti, umas das maiores revelações do Maquinho, foi no Palmeiras que viveu a melhor fase. Defendeu as cores alviverde em 373 partidas, com 160 vitórias, 131 empates e 82 derrotas e marcou 95 gols. É o 11º artilheiro da história do Palmeiras. No Corinthians disputou 48 jogos, com 18 vitórias, 16 empates e 14 derrotas, marcando 7 gols. Também jogou no Fluminense carioca, Grêmio, Guarani, Santos, XV de Piracicaba, Toyota e Nagoya Grampus (Japão). Na seleção brasileira (e olímpica) foram 23 jogos, com 7 vitórias, 8 empates e 8 derrotas e 3 gols marcados. Veja a Seleção Pré Olímpica de 1.979, em cuja formação está Márcio Rossini, outra revelação do Maquinho. Em pé da esquerda para direita:  Edson, Luiz Henrique, Vagner, Vitor, Márcio Rossini e João Luiz. Agachados: Jerson, Anselmo, Aroni Cléo e Jorginho Putinatti.

O GOL COM O JUIZ: No dia 09 de outubro de 1.983, Jorginho marcou um gol inédito no futebol, acho que único no mundo. Palmeiras e Santos jogavam pelo Campeonato Paulista de 1.983 e o “Peixe” estava vencendo por 2 a 1, até o final do segundo tempo. Num escanteio para o Palmeiras, bate-rebate na área, a bola sobre para Jorginho, que chuta para o gol. A bola ia para fora, mas no trajeto bateu no juiz José de Assis Aragão e balançou a rede. Pela regra, como o árbitro é um corpo neutro no campo, o gol foi validado, para desespero dos jogadores santistas. Até hoje ainda não vi outro lance igual. E olha que assisto um “montão” de jogos na televisão, seja do Brasil ou do exterior. No flagrante da Revista Placar o atacante palmeirense cumprimentado o juiz artilheiro: “Boa Aragão”. Você sabia que o treinador Oswaldo Brandão foi supervisor do Garça? No ano de 1.984, o técnico do Azulão, Altamiro Gomes, com a anuência do presidente Antonio “Biga” Marangão, trouxe Brandão para auxiliar nos trabalhos da Comissão Técnica. O resultado: o Garça foi vice-campeão da Série B-1 e subiu de divisão.

Veja em foto recente Jorginho visitando Garça, para prestigiar mais um “Encontro de Torcedores no Garça Tênis Clube, promovido pelo corintiano Enéas Filho,   que homenageou o são-paulino Waltinho. No flagrante: Jorginho, Waltinho e Tupãzinho, eterno ídolo corintiano.

Fotos do Evento


Comentários

Nota Importante: O Portal Garça Online abre espaço para comentários em suas matérias, mas estes comentários são de inteira responsabilidade de quem os emite, e não expressam sob nenhuma circunstância a posição/opinião oficial do Portal ou qualquer de seus responsáveis em relação aos respectivos temas abordados.