03/11/2017

Outubro Rosa se encerra com noite de espetáculo no Teatro Municipal de Garça

Na última segunda-feira, 30, aconteceu em Garça o encerramento oficial da campanha do Outubro Rosa em Garça. A Sala Miguel Mônico foi o espaço escolhido e a Associação Comercial e Industrial de Garça (Acig) mostrou que sempre é possível fazer um pouco mais. Juntamente com o grupo Amigos da Dalvinha e com a presença de um público mais que rosa, marcado pela animação, o que se viu foi um espetáculo singular no Teatro Municipal. O evento contou com um desfile de moda das integrantes do grupo, apresentação da Orquestra Pedagógica da Escola Municipal de Cultura Artística (Emca) “Amélio ‘Naná’ Zancopé” e uma palestra.

“Foi o fechamento de um trabalho do qual participamos desde as primeiras ações. No ano passado há havíamos realizado o desfile, num trabalho conjunto com o grupo Amigos da Dalvinha e com o apoio da Administração e foi um sucesso. O desfile é muito mais que mostrar uma roupa bonita, a maquiagem, o cabelo, o sapato. É mostrar que o belo venceu. Que o belo se manteve e que, apesar de tudo, ou até mesmo por toda historicidade delas, é um desfile com gosto de vitória. É uma comemoração à vida”, falou o gerente da Acig, Fábio Dias.

O evento teve início com um vídeo de depoimentos das integrantes do grupo, falando sobre suas experiências pessoais com a doença e o tratamento, produzido pela equipe do Departamento de Comunicação da Prefeitura de Garça.

A Orquestra Pedagógica da Escola, regida pelo maestro Adriano Freitas, se apresentou com um repertório variado, que passou pelo rock, música clássica e até mesmo uma canção sertaneja, ganhando aplausos de todos os presentes.

Em cada letra das canções, parecia haver um apoio, um aplauso e um incentivo. Na letra de Geraldo Vandré ele disse “caminhando e cantando e seguindo a canção. Somos todos iguais. Braços dados ou não”. Sim ali eram todas iguais. Na letra de Marvin (Nando Reis), a orquestra falou (mesmo que sem querer) da força daquelas mulheres: Antes do sol sair, eu trabalhava, sem me distrair. Às vezes acho que não vai dar pé. Eu queria fugir, mas onde eu estiver, eu sei muito bem o que ele quis dizer, meu pai, eu me lembro, não me deixa esquecer. Ele disse: Marvin, a vida é pra valer. Eu fiz o meu melhor e o seu destino eu sei de cor".

E assim as canções foram falando, o som foi invadindo o ambiente e a alegria ocupou o espaço dos bancos vazios. Roberto Carlos veio para encerrar aquele momento de magia e também deu seu recado: “Aproveitar a tarde sem pensar na vida. Andar despreocupado sem saber a hora de voltar .Bronzear o corpo todo sem censura. Gozar a liberdade de uma vida sem frescura”.

A primeira-dama de Garça e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Cláudia Furlaneto dos Santos, acompanhou todas as atividades realizadas no mês de outubro e também esteve presente no encerramento realizado no Teatro Municipal, apoiando o movimento.

Coube à diretora da Emca, Maria Rosa Trambaioli o papel de ‘mestre de cerimônia’. Ela doou seu talento para abrilhantar ainda mais o evento.

O gerente da Acig faz agradecimento a todos que colaboraram, como o Núcleo de Beleza da ACIG, Floricultura Magali, Amigas da Dalvinha, EMCA, Aline, Amanda Scripinic e Cássia Tofolli.

 

“Câncer de mama: o impacto psicológico”

 

A noite de gala contou ainda com uma palestra ministrada pela psicóloga Natália Caroline Dias, que destacou a importância do tratamento e do apoio da família e amigos na recuperação dos pacientes. Abordando a questão do simbolismo, da feminilidade e dos muitos sentimentos que afetam, não só a mulher que é vitimada pelo câncer, como também os amigos e familiares, a profissional, embasando-se nos depoimentos que iniciaram o encontro, falou sobre o sentimento de morte quando se recebe a notícia.

“É uma sensação de ‘será que saio desta?’. Começa um desdobramento de tudo e vem o aspecto emocional. A mulher passa por três fases. Primeiro a negação, o questionamento do ‘por que comigo?’, a busca de explicações. Num segundo momento vem a depressão e a ansiedade, para numa terceira, etapa vir a aceitação, depois de um processo de rejeição, até por conta da autoimagem”, falou a psicóloga, numa conversa mais intimista.

De acordo com a psicóloga, a mulher, ao ser diagnosticada com o câncer de mama, começa a se reconhecer de outra forma. Tem a questão da rejeição do próprio corpo, o medo da rejeição do parceiro, dos filhos, da sociedade e até mesmo o impacto na sociedade. Tem também, como disse Natália, o medo do pesadelo voltar.

“O medo da recidiva é muito forte e o apoio familiar é muito importante diante de um sofrimento físico e psíquico. A mulher, quando perde o seio, tem o sentimento que não poderá mais nutrir qualquer relação. O sentimento de amamentar/nutrir é transferido para outra relação e ela acha que não vai poder nutrir mais nenhuma relação. Por isso ela tende a ficar mais introspectiva. São muitas perdas como a feminilidade, a mama, os cabelos. Ela tem que se reconhecer nessa nova imagem, e isso não é fácil”, falou a profissional traduzindo em poucas palavras a realidade que a maioria dali vivenciou.

Sempre salientando a importância da família e dos amigos, a psicóloga lembrou que eles são o diferencial nesse processo doloroso e progressivo. E, como disse ela, quem está ao lado também sente essa dificuldade, tem essa angústia, tem o sentimento de impotência. “Precisamos abraçar o sofrimento junto. Tentar animar sem entender as fases que a pessoa passa. Apoiar e focar nas dores emocionais”, finalizou ela.

O cabeleireiro garcense Luiz Lins Queiroz, do Estúdio Nova Era, fez uma doação de cabelos para a confecção de perucas às Amigas do COM, da cidade de Marília. “A menor coisa no momento adequado é importante. Nós, cabeleireiros, sabemos o quanto o cabelo é importante para as mulheres. Essa entrega é um ato simbólico, mas se não puder fazer um ato grande, dê um grito e mostre um laço rosa. Grito de alerta”, falou ele, lembrando a necessidade e a importância da prevenção.

Segundo Queiroz, durante todo o ano, quem quiser doar os cabelos pode fazê-lo e, a exemplo do ano passado, quem for fazer a doação, o corte curto será feito por ele gratuitamente durante todo o ano.

A representante dos Amigos do COM, Madalena, falou sobre sua experiência e lembrou que embora não tenha perdido os cabelos durante o tratamento, sabia o quanto a atitude era valiosa. “Temos um cabeleireiro que leva o cabelo para São Paulo e traz perucas para nós. No ano passado foram 10 perucas que estão à disposição, não só das mulheres em Marília. Se alguém em Garça quiser, é só entrar em contato. Em março de 2018 vamos mandar o cabelo novamente. Sou voluntaria e paciente oncológica. Obrigada, Garça.”, finalizou Madalena.

 

Desfile das beldades

A apoteose veio com o desfile das beldades. Descendo as escadas da Sala Miguel Mônico elas foram rosa, elas se mostraram lindas e seguras. As mulheres modelos foram arrumadas (maquiagem e cabelos) pelo Núcleo de Beleza da Acig e vários lojistas, parceiros da Acig, fizeram questão de vesti-las. Para os pés das Cinderelas do século XXI, calçados da Jaú Calçados. E tudo foi uma festa, com direito a sorteio de brindes e muitos flashes no final.

Para acompanhar o evento, o ingresso era um litro de leite e toda arrecadação foi doada para a Associação dos Voluntários do Combate ao Câncer de Garça. Na tarde de terça-feira, 31, Fábio Dias entregou para a associação os 161 litros de leite.

“É como disse o Luiz, se não pudermos fazer um ato grande, que possamos dar um grito e mostrar um laço rosa. A Acig deu total apoio ao evento desde as primeiras ações no início do mês, mas isso não tem que ser uma prerrogativa nossa. Isso deve ser um ato de todos. Nós aprendemos muitos. E que novas parcerias sejam feitas no ano que vem. No entanto, como já foi dito, que a prevenção aconteça nos 365 dias do ano”, finalizou o gerente.

As lojas que colaboraram com roupas e calçados foram: Studyo 20, Pedra do Sol, D’Paula, Magia Boutique, Ele & Ela, Estação Fashion, Atual Modas, Ellegance Lingerie, Composição, Evidência, Maria Morena, Exclusiva, Parada Obrigatória, Irene Modas, Liz Boutique e Jaú Calçados.

O gerente da Acig agradece a todos que colaboraram como o Núcleo de Beleza da ACIG, Floricultura Magali, Amigas da Dalvinha, EMCA, Aline, Amanda Scripinic e Cássia Tofolli.

 

 

Comentários

Enviar Comentário

Lojas Garça Online

Tempo Garca